Translado e Entronização dos restos mortais do Servo de Deus

No dia 12 de novembro de 2010, membros do Tribunal Diocesano constituído para o Processo de Beatificação e Canonização do Servo de Deus Franz de Castro Holzwarth, partem de São José dos Campos até Barra do Piraí, onde se encontravam seus restos mortais.

            Em decorrência da morte de Dona Dinorah, mãe do Servo de Deus, no dia 10 de maio de 2010, houve necessidade de antecipar a exumação dos restos mortais de Franz de Castro, que cuidadosamente foi colocado numa urna plástica, na cor branca e recolocada no túmulo da família em Barra do Piraí.

No cemitério da cidade, que se encontrava repleto de fieis, após cumprimentos iniciais, o assessor do postulador, padre Paolo Lombardo, autorizou o início dos trabalhos. A equipe dos funcionários do cemitério removeram a lápide e retiraram a urna que continha os restos mortais do Servo de Deus. Uma grande emoção tomou conta de todos os presentes. Como requer a ocasião, somente a família e os amigos presenciaram a retirada da lápide.  Diversos jornalistas presentes aguardavam à distância, para registrar cada etapa do traslado.

            A urna foi envolvida numa toalha de linho branco e conduzida pelos fieis e pelos membros do Tribunal, com orações e cantos, até a Igreja Matriz da cidade.

            A celebração de despedida dos restos mortais foi conduzida pelo reverendíssimo pároco, padre Leandro e padre Antonio.

            Ao final, a urna foi transportada para a Igreja Matriz São José, na cidade de São José dos Campos, onde o Servo de Deus viveu seus últimos e marcantes anos de vida.

            Após reconhecimento e identificação efetuados pelo nobre Dr. Wilson Salgado, os restos mortais foram submetidos a um tratamento especial evitando assim sua deteriorização. Numa outra etapa, foram cuidadosamente depositados numa urna de acrílico, confeccionada exclusivamente com divisórias e preparada com cânfora, que foi lacrada com o selo do Senhor Bispo. Em seguida foi colocada dentro de uma outra urna de madeira maciça.

            No dia 17 de novembro de 2010, às 10hs, foi celebrada uma cerimônia solene presidida pelo Senhor Bispo Diocesano, Dom Moacir Silva, que, ao final, conduziu a urna até o túmulo preparado no final da Igreja Matriz, de fácil acesso aos fieis, juntamente com o assessor do Postulador, pe. Paolo Lobardo, pelos membros do Tribunal constituído para a causa, o Juiz Delegado, pe. Rogério Augusto das Neves; o Promotor de Justiça, pe. Antonio Silva França; o Vice-Postulador da Causa, pe. José Cândido Pereira, a notária atuária, Regina Célia Araújo e a notária adjunta, irmã Diva Moura, além de autoridades, familiares, fieis e amigos. 

Os documentos legais da entronização foram colocados na urna e o túmulo de granito foi lacrado, tornando-o local de visitação e oração.

Voltar

Desenvolvido por:

DB9